Polícias Militar, Civil e Corpo de Bombeiros vão receber verba extra de R$ 50 milhões

Polícias Militar, Civil e Corpo de Bombeiros vão receber verba extra de R$ 50 milhões

As forças de segurança pública de Minas Gerais (Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros) vão receber uma verba suplementar de R$ 50 milhões, recurso que será usado para o fortalecimento do sistema de inteligência e enfrentamento da criminalidade no Estado. O anúncio do recurso foi feito hoje (04-11), em Brasília, pelo diretor jurídico da presidência do Senado, Alexandre Silveira, representando o presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco.

Do montante, como explicou Alexandre Silveira, R$ 20 milhões serão destinados para a Polícia Militar, outros R$ 20 milhões para a Polícia Civil e R$ 10 milhões para o Corpo de Bombeiros. Os recursos já estão liberados pelo governo federal. Embora o sistema prisional não tenha sido contemplado com novos recursos, Silveira assumiu o compromisso de trabalhar para reforçar o orçamento da polícia penal do Estado.

“Estamos anunciando esse recurso de R$ 50 milhões de reforço para a estruturação da segurança pública de Minas Gerais, articulados pela bancada mineira na Câmara, em sintonia com os senadores da República, liderados pelo senador Rodrigo Pacheco”, afirmou Alexandre Silveira, que destacou o trabalho que as polícias do Estado realizam em defesa dos mineiros.

De acordo com Alexandre Silveira, que é delegado de polícia de carreira, Minas Gerais tem as melhores forças de segurança do país, mas elas precisam, na sua opinião, de mais recursos para investir em material humano, melhores condições de trabalho e na qualificação dos seus policiais.

“Cada reforço que é levado do ponto de vista orçamentário permite ao governo do Estado fortalecer as ações fins, por meio da compra de equipamentos, viaturas, mas também investir no material humano, o que permite a melhoria da qualidade dos serviços, que vão beneficiar diretamente a população de Minas Gerais”, acrescentou.


Ao comentar a recente operação policial em Varginha, Alexandre Silveira elogiou a atuação das polícias. “Ninguém comemora 26 mortes que resultaram dessa ação, mas é preciso parabenizar as polícias, pois creio que evitaram um mal maior”, destacou Alexandre Silveira. “Ninguém, em sã consciência, pode achar que uma quadrilha altamente especializada, com aquele nível de armamento, estava querendo brincar. Se a polícia não tivesse sido muito eficiente na defesa do cidadão de bem, poderíamos ter dezenas de vítimas”, avaliou Silveira.

Ação conjunta

“Esses recursos serão muito bem empregados em nosso Estado”, disse o secretário de Justiça e Segurança Pública de Minas, Rogério Greco, que fez um agradecimento especial ao senador Rodrigo Pacheco, presidente do Congresso Nacional, e ao diretor jurídico da presidência do Senado, pela ajuda que os dois têm dado ao sistema de segurança pública do Estado.

Depois de dizer que Minas é o Estado mais seguro do país, Greco lembrou que as polícias do Estado estão, hoje, totalmente integradas, o que é resultado, segundo ele, da participação de um conjunto de parceiros, como é o caso do Senado Federal. “O Estado unido, integrado, sempre será maior do que a criminalidade”, assinalou o secretário.

O comandante da Polícia Militar, coronel Rodrigues Sousa Rodrigues, lembrou uma frase do escritor Guimarães Rosa, que foi capitão-mestre da Polícia Militar, para agradecer a ajuda que a corporação recebeu do Senado e do governo federal: “É junto dos bão que a gente fica mió”.

Joaquim Francisco Neto e Silva, Chefe da Polícia Civil, destacou a sinergia que existe hoje entre as forças de segurança do Estado, que tem como consequência resultados muito positivos para a segurança dos mineiros. Ele ainda assinalou que o trabalho do Legislativo, juntamente com o Executivo, será capaz de dar à Polícia Civil uma estrutura mais adequada, o que resultará em melhores serviços prestados aos cidadãos.

“Esse é um momento histórico para nós. Essa é uma ação e um gesto republicanos, que para Minas se materializa agora, mas que possa ser estendido ao Brasil”, disse o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Edgard Estevo da Silva. “Temos nos esforçado para levar proteção e segurança a todos os mineiros e somos referência hoje no Brasil inteiro”, destacou o coronel, que agradeceu o recurso extra em nome dos 6 mil bombeiros mineiros.

Participaram, também, da reunião, que aconteceu na Presidência do Senado, em Brasília, várias entidades representativas das polícias Militar, Civil e Corpo de Bombeiros de Minas Gerais.

A presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de Minas Gerais
(SINDEPOMINAS), Maria de Lurdes Camilli; Weber Americano representando o presidente da Associação dos Delegados de Polícia Civil de Minas Gerais (Adepol-MG); Sindicato do Escrivães da Polícia Civil de Minas Gerais (SINDEP-MG) e também presidente da Associação dos Escrivães da Polícia Civil de Minas Gerais (AESPOL-MG), Aline Risi; representando o presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia de Civil Minas Gerais (Sindpol-MG), Antônio Marcos Pereira e Emerson de Oliveira; a vice-presidente da Associação dos Oficiais da Polícia Militar e Bombeiros Militares de Minas Gerais (AOPMBM), coronel Rosângela de Souza Freitas; o presidente da Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares de Minas Gerais (ASPRA-MG), subtenente Héder Martins de Oliveira; dirigentes do Centro social de cabos e soldados MG (CSCS-MG), os sargentos Amaury de Oliva e Elenilton Gomes.